Bem-vindo(a), faça o login ou cadastre-se.
Segunda-feira, 10 de Dezembro de 2018

Histórico do Município

História do Município


images/paginas/03.jpg

A cidade de Monte Aprazível foi fundada em 1° de julho de 1898 pelo Capitão Porfírio de Alcântara Pimentel. Tratava-se, na época, de um povoado denominado Patrimônio Água Limpa, em virtude dos rios e riachos existentes na região, entre eles o São José dos Dourados e o córrego Água Limpa.

 

No ano de 1912 foi elevada a categoria de Distrito Policial e no ano de 1914 o povoado tornou-se Distrito da Paz. Aos seis de agosto de 1919, foi lançada a pedra fundamental da igreja, tendo como padroeiro o Senhor Bom Jesus. A construção da Igreja do Senhor Bom Jesus deu maior dinamismo à construção urbana, principalmente após a instalação da Paróquia, no ano seguinte.

images/paginas/01.jpg


Em 10 de março de 1925, nasce o município de Monte Aprazível, nomeado Comarca em 1927.


Até o final do ano de 1928 já havia na cidade cerca de treze máquinas de beneficiar café e arroz, duas fábricas de cerveja e outras bebidas, curtumes, muitas olarias para fabricação de telhas e tijolos e várias fazendas de criação de gado. A grande maioria das casas do comércio vendia de tudo: tecidos e armarinho, modas e perfumarias, ferragens e louças, secos e molhados. Contudo, existiam lojas específicas de ferragens, de tecidos, de materiais para construções, assim como livrarias e papelarias, tipografias, farmácias, agências de automóveis, oficinas mecânicas e serrarias. Na época, eram mais de 300 os veículos a gasolina existentes na cidade. A população somava 10 mil habitantes, exceto os distritos. E quatro jornais - “A Cidade”, “O Monte Aprazível”, “O Arauto” e “O Grillo” - circulavam no município.


O maior surto do progresso notou-se a partir de 1950, ano em que as atividades sócio-econômicas, educativas, comerciais, industriais e agrícolas mais se desenvolveram, surgindo duas indústrias de grande porte: a Sambra – Sociedade Algodoeira do Noroeste Brasileiro, e a Agri-Indústria ou como foi chamada a “A Fábrica de Cola e Gelatina”.


A região favoreceu a instalação destas indústrias devido a vasta extensão de terras de ótima qualidade para o cultivo do algodão, a localização às margens da Rodovia, já asfaltada e distante nove quilômetros da Estação de Engenheiro Balduíno, e a proximidade com o Rio São José dos Dourados, utilizado para lavagem e tratamento da matéria-prima.

 

images/paginas/02.jpg

 

Formação Administrativa


Distrito criado com a denominação de Monte Aprazível, por Lei Estadual nº 1438, de 18 de dezembro de 1914, no Município de Rio Preto.


Nos quadros de apuração do Recenseamento Geral de 01-09-1920, Monte Aprazível figura como Distrito do Município de Rio Preto.


Elevado à categoria de município com a denominação de Monte Aprazível, por Lei Estadual nº 2008, de 23 de dezembro de 1924, desmembrado de Rio Preto. Constituído do Distrito Sede. Sua instalação verificou-se no dia 10 de março de 1925.


Em divisão administrativa referente ao ano de 1933, o Município de Monte Aprazível compõe-se de oito Distritos: Monte Aprazível, Buritama, Itapura, Junqueira, Macaúbas, Neves, São Jerônimo e Sebastianópolis.


Em divisão territorial datada de 31-12-1936, o Município de Monte Aprazível compreende o único termo judiciário da comarca de Monte Aprazível e se divide nos seguintes Distritos: Monte Aprazível, Buritama, Junqueira, Macaúbas, Major Prado, Nhandeara, Neves, Planalto (Ex-São Jerônimo), Sebastianópolis e Novo Oriente (Ex-Itapura).

images/paginas/04.jpg
Em divisão territorial de 31-12-1937, o Município de Monte Aprazível compreende o único termo judiciário da comarca de Monte Aprazível e figura com 10 Distritos: os mesmos de 1936 e mais o de General Salgado (Ex-Sebastiánopolis).


Lei Estadual nº 3112, de 26 de outubro de 1937, cria os Distritos de Nipoã e Poloni e incorpora ao Município de Monte Aprazível.


Lei Estadual nº 3112, de 26 de novembro de 1937, transfere o Distrito de Neves do Município de Monte Aprazível para o de Mirassol.


No quadro anexo ao Decreto-lei Estadual nº 9073, de 31 de março de 1938, o Município de Monte Aprazível compreende o único termo judiciário da comarca de Monte Aprazível e se divide nos seguintes Distritos: Monte Aprazível, Buritama, General Salgado, Junqueira, Macaúbas, Major Prado, Nhandeara, Nipõa, Planalto e Vila Poloni e Novo Oriente.


Pelo Decreto-lei Estadual nº 9775, de 30 de novembro de 1938, o Município de Monte Aprazível perdeu o Distrito de Major Prado, para o Município de Araçatuba, e o de Novo Oriente, passou a denominar-se Pereira Barreto indo seu território incorporar ao novo Município de Pereira Barreto.


Decreto nº 11055, de 24 de abril de 1940, cria o Distrito de Floreal e incorpora ao Município de Monte Aprazível. Em 1939-1943, o Município de Monte Aprazível é composto dos Distritos de: Monte Aprazível, Buritama, General Salgado, Junqueira, Macaúbas, Nhandeara, Nipõa, Planalto e Poloni (Ex-Vila Poloni) e é termo único da comarca de Monte Aprazível, termo este formado por 2 Municípios: Monte Aprazível e Tanabi.


Lei Estadual nº 14334, de 30 de novembro de 1944, desmembra do Município de Monte Aprazível os Distritos de Nhandeara e General Salgado.


Decreto-lei Estadual nº 14334, de 30 de novembro de 1944, cria o Distrito de Turiúba e incorpora ao Município de Monte Aprazível.


images/paginas/05.jpg

Em virtude do Decreto-lei Estadual nº 14334, de 30 de novembro de 1944, que fixou o quadro territorial para vigorar em 1945-1948, o Município de Monte Aprazível ficou composto dos Distritos de Monte Aprazível, Buritama, Junqueira, Macaubal, Nipõa, Planalto, Poloni, Floreal e Turiúba, e constitui o único termo judiciário da comarca de Monte Aprazível, formada pelos Municípios de Monte Aprazível, General Salgado e Nhandeara.


Lei Estadual nº 233, de 24 de dezembro de 1948, desmembra do Município de Monte Aprazível os Distritos de Buritama, Planalto e Macaubal (Ex-Macaúbas). A referida lei transfere do Município Monte Aprazível o Distrito de Turiúba indo seu território ser incorporado ao Município de Buritama.


Aparece no quadro fixado pela Lei nº 233, de 24-12-1948, para vigorar em 1949-1953, composto dos Distritos de Monte Aprazível, Itaiúba, Junqueira, Floreal, Nipõa, Poloni e Vila União, comarca de Monte Aprazível e no fixado pela Lei nº. 2456, de 30-12-1953, para 1954-1958, dos Distritos de Monte Aprazível, Engenheiro Balduino, Itaiúba, Junqueira e Sebastianópolis do Sul, comarca de Monte Aprazível.


Lei Estadual nº 2456, de 30 de dezembro de 1953, desmembra do Município de Monte Aprazível os Distritos de Poloni e Nipoã.

 

Em divisão territorial datada de 01-07-1960 o município de Monte Aprazível é formado dos Distritos de Monte Aprazível, Engenheiro Balduíno, Itaiúba, Junqueira, Sebastinópolis do Sul e União Paulista (Ex-Vila União).


Lei Estadual nº 8092, de 28 de fevereiro de 1964, desmembra do Município de Monte Aprazível os Distritos de União Paulista e Sebastianopólis do Sul.


Em divisão territorial datada de 01-06-1983, o município é constituído de quatro Distritos: Monte Aprazível, Engenheiro Balduíno, Itaiúba e Junqueira.
Assim permanecendo em divisão territorial datada de 15-07-1999.